terça-feira, 22 de novembro de 2011

Sacolas diferentes

Recebi por e-mail imagens muito criativas de sacolas, digamos, quase "interativas". Exagerei? É, pode ser, mas, de certa forma, estas sacolas só atingem seu objetivo quando as usamos. Geralmente são intervenções publicitárias. Dá só uma olhada:









Eu gostei muito daquela que imita um engradado e aquela mobiliza a favor da criança com autismo mexe com a gente. E você, de qual gostou mais?

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Um micro ensaio sobre o Twitter

Não gosto muito da efemeridade do Twitter...

Ele é perfeito para quem fica 100% do dia online: as conversas são frenéticas e alguns tweets se perdem em meio a velocidade na qual a time line é atualizada.

Acabo acompanhando assuntos que não queria ou acumulando links pra acessar (que marco como favorito para ler depois e, às vezes, acabo esquecendo). Tudo é momentâneo, passageiro.

Por ora, sinto falta do que é perene...


Imagem daqui

sábado, 5 de novembro de 2011

Selinho recebido da @tah_davi - Parte 1 de 2

Há um tempão, recebi dois selinhos da Alessandra Taísa, do blog Aprendendo com Davi. Fazemos parte de uma turma de "mães que tuítam" seja em busca de distração, seja pra tirar dúvidas e compartilhar dicas: as #Twitmães.

É engraçado como, mesmo sem conhecer pessoalmente, conseguimos criar laços e nos aproximar de pessoas que nem moram na mesma cidade, nem no mesmo Estado que nós. Coisas desse mundo internético... e que eu gosto muito!

Então, vamos ao que interessa!

O primeiro selinho é este (o outro virá em outra postagem):


E eu indico para:
http://futurodopresente.com.br/blog/
http://blogmulheraocubo.blogspot.com/
http://desconstruindoamae.blogspot.com/
http://fernandafernandesartes.blogspot.com/
http://inventandocomamamae.blogspot.com

As regras são:
1-Exibir a imagem do selinho em seu blog
2-Postar o link do blog que o indicou
3-Publicar as regras
4-Indicar 5 blogs para receberem
5-Avisar aos indicados

Por hoje é só pessoal! Até mais!



terça-feira, 27 de setembro de 2011

Publicidade para Mulheres: Será? | Blogagem Coletiva #mulhernapublicidade

Como profissional de comunicação, não sou de me deixar levar por comerciais, anúncios e afins, mas isso não significa que não perceba o que se passa ao meu redor. E cá pra nós, já reparou como é a imagem da mulher na publicidade? No mínimo, irreal.

Mulheres eram sempre retratadas como mães, que não trabalhavam fora, cuidavam apenas da casa e da família (como se fosse pouca coisa!). Aposto que você lembrou de comerciais de margarina, produtos de limpeza, sucos e alimentos em geral, certo?

E atualmente, as mulheres têm sido retratadas nos anúncios publicitários como a mulher independente, sexy, poderosa, executiva, muitas vezes como se fôssemos versões femininas dos homens. Alguns afirmam que é assim porque mostram a "mulher de hoje".

O fato é que, primeiro, não dá para rotular a mulher como sendo só uma coisa ou outra, e segundo, quem disse que mulher gosta de "se ver" assim nesses comerciais? Porque a publicidade não acerta o tom? Talvez a Halina Medina tenha rascunhado a resposta: é difícil encontrar mulheres na área de criação das agências publicitárias. Faz sentido, afinal, a grande maioria (senão todos) dos profissionais da publicidade são homens.

Calma, não é feminismo! É realidade. A mulher anda cansada dessa publicidade repetitiva e, por que não, "sem noção". É só uma questão de pensar em uma publicidade que trate a mulher de modo mais criativo e que fuja da mesmice ora dona de casa, ora executiva poderosa, ora mulher gostosona.

E nem vou incluir aqui a questão da superexposição do corpo e da exaltação (e invenção) de uma mulher "perfeita"... Ai, que isso daria uma tese de doutorado! ;D

Abaixo, um desses comerciais, usando a velha imagem da mulher pilotando o fogão:


* * *

Este post faz parte da Blogagem Coletiva sobre a Mulher na Publicidade e não pretende esgotar o assunto, mas promover a reflexão e o debate acerca do tema. Se quiser participar, faça um post também e use o selo da blogagem, no início deste texto. Depois, mande o link do seu post e incluirei aqui todos os blogs participantes.

* * *

Leia também os posts de outros participantes que aderiram à blogagem coletiva:

Renata
Daniele Abrantes
Rogéria Thompson
Vanice Santana
Cris Guimarães
Carol Passuello (post "requentado" de outra blogagem coletiva)
Bianca Scalon
Ligia Sena
Ana
Juliana
Loreta
Ingrid Strelow
Carolina Pombo

* * *

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Mulher na publicidade | Blogagem Coletiva [Convite]


Depois que fiz este post no Facebook (abaixo), a querida Ingrid Strelow sugeriu fazermos uma blogagem coletiva sobre o tema:
Mulher na Publicidade

Adorei a ideia e corri para fazer este post aqui no blog!


Quem quiser participar, é só preparar um post sobre o tema, usando qualquer propaganda (em revista, outdoor, televisão, etc) para exemplificar e ilustrar o texto. Se não lembrar de nenhum, tudo bem! Basta falar sobre o assunto e linkar este post como referência.

A ideia é debatermos um pouco sobre a insistência da publicidade e do marketing em reforçarem imagens irreais das mulheres: ora donas de casa, ora executivas independentes, quase aspirantes a homem. Como se fossemos uma coisa ou outra.

Para dar tempo de todo mundo escrever, vamos marcar a data da blogagem coletiva para dia 27 de setembro. Combinado?

E não é só mulher que pode participar, os homens também estão convidadíssimos! Só não esqueça de mandar o link do seu post pra mim, hein?

Ah! E se não tiver blog, não tem problema; crie uma nota no Facebook e compartilhe o link aqui também. Para compartilhar e falar da blogagem coletiva no Twitter, use a hashtag #mulhernapublicidade.

E aí, gostou do assunto? Então, participe!!!


quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Coisas que eu ouço por aí... [parte 1 de muitas, provavelmente!]


"Quem usa óculos é deficiente visual,
é aleijado da vista."

(Explicação de uma mãe para seu filho de, aparentemente, 7 anos que pedia à mãe para usar óculos.)


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Sobre Amy Winehouse, atentado na Noruega e alerta para gestantes


  • Certa matéria no jornal Destak de hoje (25/07/2011) dizia que a Escola Nacional de Saúde Pública e o INCA alertam que o uso de alisadores e tintas de cabelo - inclusive henna - durante os 3 primeiros meses de gravidez aumenta o risco de desenvolvimento de LEUCEMIA na criança.
    E como fazer se boa parte das mulheres descobrem que estão grávidas exatamente neste período? 

  • Amy Winehouse era usuária de vários tipos de drogas. Sua morte não surpreendeu nem a própria família. Há a suspeita provável de que tenha sido por overdose...
    Daí, os fãs a "homenageiam" com latas e garrafas de bebidas alcoólicas. Hã??



sábado, 23 de julho de 2011

Estou de volta

É assim. Vida de mãe é assim. Vida de mãe que trabalha fora e faz questão de curtir a cria quando chega em casa é assim. Cheia de imprevistos e mudanças de plano.

Esse é um dos grandes motivos do meu sumiço do blog. Voltei a trabalhar (ainda longe de casa, mas um pouco menos que antes) e o tempo livre ficou mais curto (de novo), exigindo de mim uma organização melhor para administrar filha, marido, casa, lazer, descanso...

Agradeço MUITO o carinho que tenho recebido por aqui mesmo e pelo Facebook ou Twitter; pessoas queridas que sempre lembram de mim e do meu blog. Obrigada, viu?

Então! Passei para avisar que estou retomando (aos poucos, tá? tenham paciência...) as atividades do blog. Gosto muito desse espaço, mas não estou dando conta de fazer posts semanais, muito menos diários. Por isso, nessa nova fase, digamos assim, vou postar quinzenalmente e ver no que vai dar.

O que não pode e não quero é tornar meu blog um peso para mim. Afinal, é um cantinho especial que me permitiu conhecer pessoas muito bacanas, com as quais tenho criado laços de amizade (sim!), mesmo que "virtualmente" (por enquanto...).

E também é um espaço onde posso expor minhas opiniões e compartilhar assuntos bacanas, dicas, dúvidas, pensamentos... enfim, uma pitada de cada coisa que faz parte do meu mundo!

Acho que ainda estamos com problemas para postar comentários no blogspot, mas não se acanhem! Podem comentar no Facebook e no Twitter. O importante é manter contato; saber a opinião de vocês.

É isso. E o que nos resta? Caminhar... sempre!

Obrigada e tenham um ótimo final de semana!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Perguntas que não calam #1

- Por que as pessoas apertam o botão do elevador para subir e descer ao mesmo tempo, se querem apenas descer?

- Por que insistimos em usar produtos abrasivos na limpeza da mesa do fogão, por exemplo, se os fabricantes sempre recomendam usar sabão neutro, água e esponja macia?

- Por que sempre perguntam se você estava dormindo, quando te telefonam de madrugada?

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Arte com kit scrap: caderno personalizado

Preparei uma arte bem bacana usando um kit de scrap digital para fazer um
caderno com capa personalizada e presentear minha sobrinha.


E ainda incrementei com atividades e desenhos para colorir.
Não ficou uma graça?

Usei o mini kit scrap freebie Coruja do Armazém Criativo.


quarta-feira, 1 de junho de 2011

Vaga para Analista de conteúdo júnior

Divulgando, abaixo, o perfil para vaga de analista de conteúdo júnior. Compartilhe, dê RT, indique para um amigo!


É exigido o ensino superior completo (ou cursando) em Comunicação, preferencialmente com habilitação em jornalismo.


REQUISITOS
  • Excelente redação.
  • Usuário avançado de internet.
  • Inglês básico.
  • Pacote Office (Word, Excel, Power Point).
  • Boa comunicação escrita e verbal.
  • Interesse pelo mercado de Internet.
  • Iniciativa e Pró-atividade.
  • Organização.

 DIFERENCIAIS
  • Inglês intermediário.
  • Gostar de acompanhar lançamentos de produtos no mercado, principalmente de tecnologia, eletrônicos e eletrodomésticos.
  • Conhecimento na área de e-commerce e varejo.

PRINCIPAIS ATIVIDADES:
  • Pesquisa de conteúdo na internet (sites, blogs, vídeos etc).
  • Revisão e redação de pequenos textos e artigos para site.

HORÁRIO:
9h às 18h, de segunda a sexta-feira

REMUNERAÇÃO:
A combinar + VT + Vale Refeição + Vale Alimentação + Plano de Saúde

LOCAL:
Leblon - Rio de Janeiro

SOBRE A EMPRESA
O Zoom (www.zoom.com.br) é um comparador de preços da Mosaico Negócios de Internet, uma holding de internet fundada em 2009 que possui como investidor a Globo Comunicação e Participações.

>>>ATUALIZAÇÃO EM 25/07/2011
Esta vaga já foi preenchida no início de julho. Obrigada!




Reprovação Escolar e Educação Brasileira - Parte 2

Como citei no post anterior, trago aqui opiniões de algumas mães e profissionais da educação a respeito da reprovação escolar e a progressão continuada. Cada uma com sua visão, partindo da experiência pessoal como professora comprometida, mãe participativa e cidadã comprometida.

Obrigada por aceitarem o desafio e colaborarem não somente para este post, mas para um debate importante acerca da educação brasileira!


"Eu nunca concordei com esta história de aprovação [automática]. Aliás acho que os alunos perdem um pouco da "obrigação" de estudar. Ele vai pra escola com uma idéia diferente, vou curtir, encontrar a galera. E ai já viu! Coitados dos professores. [...] Eu acredito que o "reprovar" não fará ninguém revoltado, pois passei por esta geração e não me vejo em nada uma revoltada ou cheia de problemas emocionais. Eu acho sim que o deixar fazer o que quer é que vai fazer um mundo oba-oba. [...] A educação depende de nós. O reprovar poderá sim criar uma responsabilidade a mais em nossos filhos. Pena que tenha que ser assim, punir para se conseguir um efeito positivo."
(Cátia Barros, mãe)

"Eu realmente não sou contra a progressão continuada. Talvez eu seja incomodada com a relação que a escola tenha com o aluno. [...] O sucesso da educação não depende de leis, projetos, livros didáticos, qualificações de professores, o sucesso depende unicamente da apreensão do conhecimento do aluno. Apreender significa compreender as coisas e não só aprender mecanicamente fórmulas e decorebas que não internalizam o conhecimento, mas condicionam o cérebro de milhares e milhares de crianças. [...] Não me iludo em achar que a progressão continuada termina no ensino médio, pois, estas mesmas universidades que formam os futuros substitutos do seu sistema, são as mesmas que também aprovam mecanicamente. Temos aí um círculo vicioso. A criança então, desde cedo, se condiciona a ideia de que não é preciso estudar tanto, já que passará de ano. O universitário não se aprofunda em seu conhecimento, porque o conhecimento dado a ele é pré-definido, mastigado. [...] Se nós, desde a primeira infância, incutíssemos a importância do conhecimento como visão de mundo e acima de tudo, como visão de descoberta de nós mesmos, ter ou não a progressão continuada não faria a menor diferença, pois o que realmente importaria era a singularidade de cada aluno, que os professores se esmerariam em formar e que toda a sociedade agradeceria por isso."
(Simone de Carvalho, mestre em Psicologia da Educação e mãe)

"[...] Há crianças que saem do 1º ano do fundamental sem conseguir ler. Há colegas que trabalham com séries iniciais e acreditam mesmo que a criança vá conseguir, no próprio ritmo, chegar ao objetivo. Só que nem sempre é o que acontece e eu mesma encarei alunos em escolas públicas, advindos de escolas particulares, que não acompanhavam atividades de biologia (aí, já ensino médio) porque não sabiam interpretar texto. Se a pessoa não consegue interpretar um texto na língua-mãe, vai ter problemas na vida prática, não apenas para conseguir efetuar uma atividade escolar de matemática ou biologia. Assinar um contrato de trabalho ou de compra da casa-própria será um problema!
Da mesma forma acredito que uma prática como a "dependência", como algumas escolas costumavam fazer, não fazia sentido. Um aluno reprovado em história do Brasil 1, por exemplo, precisa ter posse desse conhecimento para interpretar os fatos que se seguiram para poder compreender história do Brasil 2 [...]. Não considero justo, porém, se reprovarmos um aluno que é excelente na maioria das disciplinas e mediano em outras por causa de uma "matéria".
Só que, geralmente, os alunos com problemas na progressão continuada são os que estão globalmente com deficiências, e muitas delas poderiam ser sanadas com uma participação familiar na educação, e não no deixar a educação da criança [só] por conta da escola. Alunos cujos pais perguntam, se interessam pelas tarefas, auxiliam sem fazer pelas crianças, tendem a ser mais interessados e produtivos. Mas também há alunos que estão na escola por causa do bolsa-família ou algo parecido e que não têm outras condições ambientais para que sua escolaridade seja vivida em plenitude.
Uma criança que está na escola pra comer lanche e pra talvez ser o único da família que tem alguma escolaridade, uma repetência pode significar a família retirá-lo da escola para trabalhar. Aí vem o dilema do professor, porque a gente toma contato com toda a comunidade escolar e sabe um tanto da história de cada aluno. Como cortar o sonho dessa criança e dessa família???"

(Ingrid Strelow, professora e mãe)

"Como era de se esperar,o governo debate demais esse assunto da educação no ensino fundamental. Antigamente todos passavam e aprendiam,o porquê de hoje em dia nao se aprender? [...] Geralmente, os pais jogam essa culpa exclusivamente para o governo, mas será verdade? A sociedade em si tem um pouco de culpa por deixar que o governo patrocine esse tipo de "ensino".
Tornar nossas crianças burras está sendo esse tipo de ensino [com progressão continuada],que além de desinteressar os alunos, pagam mal aos professores, que em muitos casos encontram crianças com problemas familiares e não acham compensadora esta profissão, pois como passam de ano simplesmente por passar, tornam-se descomprometidos.
Agora,vendo por outro lado reprovar o aluno também não é certo, mas é o mais justo e o que sempre funcionou. [...] E vou um pouco mais longe, por que não trazer a familia para dentro da escola? Levar a sociedade a participar mais?Até mesmo a própria política e a TV que tanto influencia as criancas nos tempos de hoje?
[...] "Passar as crianças de ano" sem ao menos terem tido qualidade de ensino, elas saem semi-analfabetas, pois não temos alunos interessados, professores comprometidos, mas uma sociedade desatenta e um governo se lixando para os anteriores. Fico me perguntando se um dia veremos nossos filhos formados em faculdades federais, sem precisar antes disso passar por cursinhos...
Defendendo a pedagogia e indo contra a ideia do deputado Gastao Vieira (PMDB/MA), sou contra a opinião de que a culpa é da pedagogia do fracasso. Se ele, sendo uma pessoa pública, fala assim, significa que nosso governo vai continuar fracassado, pois se os "grandes" do poder público não acreditam [na educação], a população também deixa de acreditar e isso se torna uma roda viciante que nunca vai mudar.
Se eu fosse ele, diria que não há culpa específica, pois educação parte de todos:
- do governo (por má distribuição das verbas e permite que haja esse tipo de ensino)
- da sociedade (que acaba sendo omissa, desacreditada e pelo governo e pelo sistema)
- da mídia (que causa uma forte, senão a maior, influência na vida das pessoas)
- e das familias (por deixarem isso acontecer despercebido).
Acredito que por fim, existam pessoas capazes de fazer a diferença, que mesmo nessa educação falha de todos os lados, ainda exista esperança, e que deem oportunidade pra quem deseja melhorar tudo isso, pois vejo que quem faz algo pra mudar é o excluído, quem acomoda na situação é o aceito! Eu acredito num ensino melhor, quero fazer a diferença...

(Karen Vasconcelos, estudante de pedagogia e mãe)


"Falar em reprovação escolar ao meu ver envolve muita polêmica! Na Educação Infantil acredito que ela não deva nem ser comentada, pois é impossível rotular crianças que ainda estão construindo seu conhecimento, cada uma dentro do seu próprio ritmo, avançando de acordo! Uma Educação Infantil completa, com professores capacitados, que preparem a criança para o próximo nível é essencial!
Quando digo que a reprovação envolve polêmica, me refiro a atuação do professor... não vou apontá-lo como o culpado pelo fracasso escolar, mas sempre me perguntei qual o envolvimento do profissional de educação?
Já dei aula para todos os níveis de educação, já recebi alunos que chegaram ao 3 ° ano do Fundamental, sem saber ler e escrever, alunos rotulados de incapazes ou com alguma deficiência! Tenho orgulho de dizer que esses alunos conseguiram dar a volta por cima e aprenderam a ler e a escrever! Não foi um trabalho fácil, cheguei a ficar noites sem dormi só pensando em uma maneira diferente para ensiná-los...e consegui!
Preparava atividades diversificadas para eles, colocava-os sentados nas primeiras carteiras (já ouvi muitos colegas dizerem “–Esses daí não aprendem mesmo...não vão atrapalhar minha aula,sentam lá no fundo!”) e ainda ficava com eles na sala de aula até mais tarde, dando reforço escolar.
Do que adiantaria reprovar um aluno com dificuldade se no próximo ano ele visse as mesmas matérias, tivesse os mesmos professores, utilizasse o mesmo material? É preciso despertar a vontade de aprender nas crianças e tentar encontrar quais os motivos das dificuldades enfrentadas.
Antes de reprovar um aluno, o professor deve colocar a mão na consciência e pensar: “O que EU fiz para ajudar?”, ”Quais as estratégias tentei usar para ele avançar?”, “Procurei saber quais foram as suas maiores dificuldades?”;
Eu sou a favor da progressão continuada dentro de um parâmetro de qualidade, com alunos e famílias que respeitem a escola, com profissionais capacitados envolvidos e um apoio escolar (recuperação paralela/reforço) que funcione.
O governo não deveria pensar em números, mas sim em qualidade. Alguns pontos a serem repensados para uma melhoria da educação:
- Poucos alunos em sala de aula (no máximo 25);
- Investimento no professor;
- Contratação de professores recuperadores;
- Parceria escola-família.
Só assim teremos condições pra pensar em Educação Continuada, sem prejuízos ao aluno!"

(Melissa Machado, professora e mãe)
Não seria bom se muitos políticos ouvissem, de verdade, a opinião de quem vive de perto as problemáticas e consequências do nosso ensino atual? Vamos divulgar essas opiniões e alimentar este debate tão relevante e essencial para nosso futuro, para o futuro das crianças, da sociedade, enfim, do mundo inteiro.

Agora, falta a sua opinião! Comente aqui!

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Reprovação Escolar e Educação Brasileira - Parte 1

O que é pior: ver seu filho reprovado, tendo que estudar tudo de novo, ou vê-lo passar de ano, mesmo que não tenha aprendido quase nada?

Este foi o assunto do programa "Participação Popular" da TV Câmara no dia 14 de abril que contou com a presença de uma mãe, uma professora e dois deputados.

Aqui contarei um pouco sobre o que assisti e, no próximo post, deixarei registradas as opiniões de mães e profissionais da educação convidadas por mim para este debate. (E você também pode participar dando sua opinião nos comentários!)

O Ministério da Educação é a favor da aplicação da progressão continuada, ou seja, do fim da reprovação escolar, nos primeiros anos do Ensino Fundamental, porém, este é um assunto bastante polêmico no campo político e educacional.

De um lado, os professores e suas dificuldades reais em lidar com alunos "crus", que não foram alfabetizados no período determinado, gerando um efeito "bola de neve", pois chega ao 4º ano (antiga 3ªa série) sem conseguir compreender o que lê - isto é, se realmente souber ler.

Do outro, os políticos que consideram a reprovação um "atraso" na educação e, provavelmente o motivo mais relevante para eles, algo extremamente custoso para os cofres públicos. Explico melhor a seguir.

Para  Daniela Ribas Paim, mãe presente no programa, com a implementação da progressão continuada, muitos professores se sentiram desmotivados, não exercendo um bom trabalho e deixando de estimular os alunos, pois, se o aluno vai passar de qualquer jeito, tanto faz ensinar ou não.


professora de escola pública em Brasília, Vanuza Sales, afirma que a progressão continuada maquia as estatísticas educacionais e só piora a qualidade da educação. Em sua opinião, a repetência soa como punição e a progressão continuada acaba "soando melhor" para muitos pais.

Vanuza disse também que o sistema é perverso, pois, ao não reprovar uma criança até a 2ª série (atual 3º ano), ela chega à 3ª série com uma bomba-relógio nas mãos. Quer dizer, se não assimilou o conteúdo nos 3 primeiros anos, é praticamente óbvio que não assimilará em 1 ano o conteúdo equivalente a 3 anos.

No campo da política, o deputado Gastão Vieira (PMDB/MA) disse que os governos sentem-se entre a cruz e a espada, necessitando escolher entre algo ruim e algo péssimo. Segundo ele, 20% dos alunos dos primeiros anos do ensino fundamental são reprovados, e isto gera um gasto de 9 bilhões ao ano para os cofres públicos. Ou seja, para ele isso é a opção péssima; e a opção ruim seria o aluno passar de ano, mesmo não aprendendo tudo o que deveria, porém, evitando um gasto extremamente alto para os governos.

Outra afirmação do dep. Gastão Vieira é que a reprovação segue o princípio de uma "pedagogia do fracasso" e o que o Brasil precisa é de escolas com "pedagogia do sucesso". E outro fato que impulsiona à adoção da progressão continuada é que escolas que não tenham 90% de alunos aprovados durante o ano, são fechadas por 1 ano.

Foi citado no programa a cidade de Sobral, no Ceará, como um exemplo de sucesso em educação devido a um planejamento consistente, baseado em uma política educacional continuada, com foco na alfabetização de crianças.

Lá, a pré-escola é obrigatória. O governo apoia a família como berço da educação; orienta para que jovens não tenham filhos tão cedo, e se tiverem, ajuda e incentivam o pré-natal; depois, oferecem cursos de puericultura para as jovens aprenderem a cuidar de seus bebês. Eles acreditam que este processo resulta em crianças amadas. Neste ponto, seria correto dizer que o governo de Sobral considera o afeto como parte integrante e essencial para o aprendizado.

Já o deputado Artur Bruno (PT/CE) acha razoável a existência da repetência no ensino médio, mas é contra reprovar uma criança na alfabetização porque considera que ela não tem obrigação de aprender tudo em 1 ano. Ele é a favor da progressão continuada nos 3 primeiros anos do ensino fundamental (CA ou classe de alfabetização, 1ª e 2ª séries), embora saiba que isto não resolve a questão e afirme que o problema está no sistema; que é um problema do Estado.

Um ponto interessante citado no programa foi a ausência ou escassez de foco na alfabetização infantil dentro da ementa dos cursos de pedagogia. A opinião dos convidados do programa foi que isto também resulta em uma alfabetização ineficiente, problemática, incompleta. Por fim, também citaram que o incentivo à leitura desde bebê também auxilia no processo de aprendizagem escolar, no futuro.

Por essas e outras que é inevitável concordar com as palavras da professora Amanda Gurgel quando diz que a educação nunca foi prioridade neste país; e tenho certeza que a situação da educação do Rio Grande de Norte é a mesma em muitos outros estados, senão todos.


sexta-feira, 20 de maio de 2011

#SeteCoisasSobreMim e Stylish Blogger Award: eu ganhei!

Recebi um selinho cheio de glamour da querida Rô, do Um espaço para chamar de meu. Um luxo, né?


Preciso contar 7 coisas aleatórias sobre mim e indicar outros blogs. Então, lá vai:

  1. Adoro ler! (de gibis a bulas de remédio, passando por rótulos, outdoors e jornal dos outros)
  2. Vermelho é minha cor favorita. (e curiosamente a cor que menos está presente no meu guarda roupa)
  3. Ando sempre com um bloquinho de anotações e caneta ou lápis. (nunca se sabe quando uma grande ideia pode surgir, né?)
  4. Fui 'quase' atropelada quando morava em São Paulo. (tinha uns 4 anos de idade)
  5. Não gosto de queijo. (não me batam!)
  6. Ainda vou fazer faculdade de psicologia. (nem que seja por hobby!)
  7. Meu carro dos sonhos quando criança era um Escort XR3 vermelho conversível. (hahaha!!!)

E os indicados são:

Hummm... gostei!
Agora quero saber 7 coisas sobre você. Conta aí!

domingo, 15 de maio de 2011

Vaga para Consultores de Vendas no Rio de Janeiro

Quem tem amigo, não passa sufoco, certo?

Então... aproveito para divulgar uma oportunidade de emprego para CONSULTORES DE VENDAS no Rio de Janeiro. São 14 vagas para a função, indicadas por uma amiga que trabalha com recrutamento e seleção. Podem confiar.

Veja os detalhes abaixo:

Oportunidade para Consultores de vendas
  • Ambos os sexos
  • Ensino médio completo
  • Sem limite de idade
  • Desejável experiência com vendas

A vaga é para trabalhar em uma empresa do ramo de telefonia que atua com vendas para empresas e oferece treinamento, salário fixo, ajuda de custo, comissão, área livre de atuação.

Quem se interessar pode enviar o currículo para o seguinte e-mail:
cristina.recrutamento@bol.com.br

Se você não precisa, indique a vaga a alguém. Há sempre um conhecido em busca de trabalho e emprego.

Obrigada e boa sorte!

Pensamento da semana #7


"Perdemos a noção de certo e errado, de graça e de pecado,
quando perdemos a noção de Deus, de nós mesmos e do outro.
Não havendo referências, perde-se também a reverência."
(Pe. Zezinho, scj)


Imagem daqui.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

O que eu vejo no Leblon


Circulação intensa de carrinhos de bebês;

Feira de alimentos orgânicos na praça;

Brigadeiro que custa mais que um salgado;

E uma proporção de fumantes [andando sempre à minha frente] quase
idêntica a de ciclistas pedalando pelas calçadas.

E você, o que vê por aí?
Imagem daqui.

domingo, 8 de maio de 2011

Pensamento da semana #6


"Amar ao pequeno até que cresça; ao enfermo, até que se cure;
ao ausente, até que volte; só a mãe pode amar assim."
(Al-Asbahani)

E para quiser, uma singela oração de mãe: http://bit.ly/OracaoMae

FELIZ DIA DAS MÃES!

terça-feira, 3 de maio de 2011

Oração das Mães


Ter um filho é mais do que
gerar, é dar a vida, é permitir
que a própria vida se desdobre,
é amar no sentido mais
amplo, é viver na condição
mais plena, é ser um pouco
mais humano, e um tanto
mais divino.

Ter um filho não implica apenas
um seio materno; implica
horas sem dormir, momentos
de aflição, tempos de alegria,
grandes momentos de
expectativa.

Ter um filho exige
responsabilidade por outra
vida, amor integral,
paciência sem limite,
doação total.

Se ter um filho, mistura o
meu pequeno eu ao grande
ser de Deus, por nove meses,
torno-me um pouco mais divina.
E Deus em seu amor, no
meu seio, se faz novamente
humano.

Senhor, dai-me a graça de ser
uma boa mãe, para merecer a
missão que me confiou ao
gerar em meu ventre um outro ser.
Amém!




* Autor desconhecido. Publicada na edição de maio/2008 do Jornal Canal Interativo, da Paróquia São Luiz Rei de França.

domingo, 1 de maio de 2011

Pensamento da semana #5


"Quanto menos alguém entende, mais quer discordar."
(Galileu Galilei)

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Porta-controle remoto com decoupage em MDF

Com uma menina muito sapeca em casa, fica difícil manter os controles remotos em ordem. Então, tratei de providenciar um porta-controle. Que tal?


Comprei a peça em mdf, pintei e depois: decoupage nela! Queria algo simples, sem muitos detalhes. E já tem outro na fila para fazer...

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Indico mesmo! Mais selinhos de recomendação

Os selinhos abaixo eu recebi do amigo Marcel Camp (que aliás está com uma série de tirinhas ótima com novo personagem, Fido, um cão falante), e estou aqui finalmente para presenteá-los a outros blogs.

Então... vamos ao que interessa!

Este primeiro selinho é dedicado aos blogs: Arte da Caixa, Fio de Ariadne e As peripécias de Eva.


E este vai para: Diário de uma mãe polvo!, Retrato Falante e Aqui em casa é assim.


Para finalizar, indico este selo aos blogs: Coisa acontecem sempre, Fernanda Fernandes Artes e Feminices da Fabi:

As regras são simples:
- fazer um post com o selo, com o link de quem te indicou;
- indicar até 5 blogs e avisá-los do selo.

Fui!

domingo, 17 de abril de 2011

Pensamento da semana #4


"Eu vos digo, se o grão de trigo que cai em terra não morre, ele fica só;
se, ao contrário, ele morrer, produzirá fruto em abundância."
(João 12, 24)

Imagem daqui.

sábado, 16 de abril de 2011

Decoração infantil com adesivos

Sempre fiquei com um pé atrás com essa história de colar adesivos na parede de casa. Ficava pensando: "e se enjoar do bendito adesivo, quiser tirar, e acabar estragando a pintura?". Bom, teria que gastar mais um pouquinho, comprando uma lata de tinta para pintar novamente a parede.

E para meu quase desespero - e alegria da filhota! - meu marido chegou da rua com uma cartela de adesivos de bichos. Não preciso nem dizer que a sapequinha ficou "louca" com eles, né?

Tem zebra, cobra, jacaré... e "dião" (leão)... e "á-á-á" (macaco) - por causa do som que imitamos o macaco: algo como ú-ú-ú-á-á-á!. (é... mães e pais fazem cada coisa para e pelos filhos que eu vou te contar, hein!)

Espia só como ficaram na parede da sala, onde fica o cantinho de brinquedos dela.

Reparou nos organizadores na porta ao fundo? Adivinha por que estão ali... rs

E aí, o que achou?

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Porta-chaves com decoupage em MDF

Sim, além de mãe, esposa, profissional de comunicação - entre outras funções - também sou artista, quer dizer, "arteira"!

Adoro fazer trabalhos manuais que envolvam pintura, recorte, colagem, principalmente. E depois de muito tempo sem exercitar meu lado "arteiro", olha o que aprontei:


Um porta-chaves lindinho em mdf, pintado a mão, para combinar com a parede vermelha do meu corredor de entrada, e cheio de joaninhas e flores. E ai, o que achou?

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Família: berço da educação #cartaaberta

Estou atendendo ao convite da Ana Claudia Bessa e participando desta blogagem coletiva sobre a recente tragédia na escola de Realengo (RJ), sobre o futuro de nossos filhos/sobrinhos/afilhados/etc, sobre a família... Esta última de extrema importância!

A educação começa, sim, de casa. Aos pais e mães cabem amar; e amar compreende acarinhar, dialogar, disciplinar, orientar, educar... e limitar quando necessário. Eu acredito que muitos males de hoje tem suas raízes nas problemáticas familiares. Ou na ausência dela: a família. Uma família estruturada, consciente e presente.

Por isso, reproduzo abaixo - na íntegra - a carta aberta escrita a todas às mães e a todos os pais, especialmente para esta blogagem:


Que futuro terão nossos filhos?
Aproveitamos o sentimento de indignação e tristeza que nos abalou nos últimos dias para convoca-los para uma mobilização pelo futuro das nossas crianças. A tragédia absurda ocorrida na escola em Realengo (Rio de Janeiro) é resultado de uma estrutura complexa que tem regido nossa vida em sociedade. O problema vai muito além de um sujeito qualquer decidir invadir uma escola e atirar em crianças. Armas não nascem em árvores.
A coisa está feia: choramos por essas crianças, mas não podemos nos deixar abater pelo medo, nem nos submeter aos valores deturpados que têm regido nossa sociedade propiciando esse tipo de crime. Não vamos apenas chorar e reclamar: vamos assumir nossa responsabilidade, refletir, trocar ideias e compartilhar planos de ação por um futuro melhor. Então, mães e pais, como realizar uma revolução que seja capaz de mudar esses valores sociais inadequados?
Vamos agir, fazer barulho, promover mudanças! Acreditamos na mudança a longo prazo. Precisamos começar a investir nas novas gerações: a esperança está na infância. Vamos fazer nossa parte: ensinar nossos filhos pra que façam a deles.
Se desejamos alcançar uma paz real no mundo,
temos de começar pelas crianças. Gandhi
O que estamos fazendo com a infância de nossas crianças?
Com frequência pais e mães passam o dia longe dos filhos porque precisam trabalhar para manter a dinâmica do consumo desenfreado. Terceirizam os cuidados e a educação deles a pessoas cujos valores pessoais pensam conhecer e que não são os valores familiares. Acabamos dedicando pouco tempo de qualidade, quando eles mais precisam da convivência familiar. Assim, como é possível orientar, entender, detectar e reverter tanta influência externa a que estão expostos na nossa longa ausência? Estamos educando ou estamos nos enganando?
O que vemos hoje são crianças massacradas e hiperestimuladas a serem adultos competitivos desde a pré-escola. Estão constantemente expostos à padronização, competição, preconceito, discriminação, humilhação, bullying, violência, erotização precoce, consumo desenfreado, culto ao corpo, etc.
O estímulo ao consumo desenfreado é uma das maiores causas da insatisfação compulsiva de nossa sociedade e de tantos casos de depressão e episódios de violência. Daí o desejo de consumo ser a maior causa de crime entre jovens. O ter superou o ser. Isso porque a aparência é mais importante do que o caráter.
Precisamos ensinar nossos filhos que a felicidade não está no que possuímos, mas no que somos. Afinal, somos o exemplo e eles repetem tudo o que fazemos e o modo como nos comportamos. E o que ensinamos a nossos filhos sobre o consumo? Como nos comportamos como consumidores? Onde levamos nossos filhos para passear com mais frequência? Em shoppings?
Quanto tempo nossos filhos passam na frente da TV? 10 desenhos por dia são 5 horas em frente à TV sentados, sem se movimentar, sem se exercitar, sendo bombardeados por mensagens nem sempre educativas e por publicidade mentirosa que incentiva o consumo desde cedo, inclusive de alimentos nada saudáveis. Mais tempo do que passam na escola ou mesmo conosco que somos seus pais!
Porque os brinquedos voltados para os meninos são geralmente incentivadores do comportamento violento como armas, guerras, monstros, luta? A masculinidade devia ser representada pela violência? Será que isso não contribui para a banalização da violência desde a infância? Quando o atirador entrou na escola com armas em punho, as crianças acharam que ele estava brincando.
Nós cidadãos precisamos apoiar ações em que acreditamos e cobrar do Estado sua implementação, como o controle de armas, segurança nas escolas, mudança na legislação penal, etc. Mas acima de qualquer coisa precisamos de pessoas melhores. Isso inclui educação formal e apoio emocional desde a infância. É hora de pensar nos filhos que queremos deixar para o mundo, para que eles possam começar a vida fazendo seu melhor. Criança precisa brincar para se desenvolver de forma sadia. É na brincadeira que elas se descobrem como indivíduos e aprendem a se relacionar com o mundo.
Nós pais precisamos dedicar mais tempo de convivência com nossos filhos e estar atentos aos sinais que mostram se estão indo bem ou não. Colocamos os filhos no mundo e somos responsáveis por eles! Eles precisam se sentir amados e amparados. Vamos orientá-los para que eles sejam médicos por amor não por status, que sejam políticos para melhorar a sociedade não por poder, funcionários públicos por competência e não pela estabilidade, juízes justos, advogados e jornalistas comprometidos com a verdade e a ética, enfim!
Precisamos cobrar mais responsabilidade das escolas que precisam se preocupar mais em educar de verdade e para um futuro de paz. Chega de escolas que tratam alunos como clientes.
Não temos mais tempo a perder. Ou todos nós, cedo ou tarde, faremos parte da estatística da violência. Convidamos todos a começar hoje. Sabemos que não é fácil. E alguma coisa nessa vida é? Vamos olhar com mais atenção para nossos filhos, vamos ser pais mais presentes, vamos cobrar mais da sociedade que nos ajude a preparar crianças melhores para um mundo melhor! Nossa proposta aqui é de união e ação para promover uma verdadeira mudança social. A mudança do medo para o AMOR, do individualismo para a FRATERNIDADE e para a EMPATIA, da violência para a GENTILEZA e a PAZ.

Carta escrita por:
Ana Cláudia Bessa www.futurodopresente.com.br
Cristiane Iannacconi www.ciclicca.blogspot.com
Letícia Dawahri
Luciana Ivanike www.lucianaivanike.blogspot.com
Monique Futscher www.mimirabolantes.blogspot.com
Renata Matteoni www.rematteoni.wordpress.com

Tem promoção na blogosfera: La Pomme - Dia das Mães


A La Pomme lançou uma coleção especial para o Dia das Mães e, claro, uma promoção bacana também!

Tem kits para vários tipos de mãe: dorminhoca, blogueira, gourmet, vaidosa... e outros.

Serão sorteados:

  • 10 cartões pop up com uma das estampas da coleção Dia das Mães
  • 2 kits do dia das mães
  • 10 cupons de 15% de desconto na loja (válido por 30 dias)


Gostou? Quer participar? Clique aqui, leia direitinho tudo que você precisa fazer e...
BOA SORTE!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Creche pública no Rio de Janeiro: uma opção viável


Muito se fala, no mundo materno, sobre a melhor escolha para ficar com os filhos: a própria mãe, avós, babá, creche... As dúvidas são muitas. As realidades, diferentes. O sentimento de culpa, presente na maioria das vezes.

Mas não quero discutir esses pormenores, até porque muitas mães blogueiras já fizeram (e fazem) isso. Quero apenas compartilhar aqui minha experiência.

Minha filha está na creche desde os 4 meses e meio e não tenho muito o que reclamar. Pesamos vários aspectos antes de decidir sobre isso e, claro, o fato de minha mãe trabalhar na mesma creche em que ela ficaria contou muito.

Escolhi a creche porque as poucas pessoas disponíveis e confiáveis estavam ocupadas e não poderiam cuidar da minha bebê. Eu e marido precisávamos trabalhar. Avós também trabalham. Não temos condições para pagar uma babá. Então, a creche municipal perto de casa foi a melhor opção.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Selinhos novos e atrasados

Acumulei alguns selinhos e recentemente ganhei selinhos novos. Então, vou aproveitar e postar uma leva agora. Ah! E vou avisando, nem todas as regras impostas eu cumprirei. Espero que não fiquem chateados.


Este selo eu ganhei do Marcel Camp e indico para:

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Mãozinhas na terra - Projeto Fotográfico 12 - Foto 4

Esta é minha quarta foto no Projeto 12: Uma fotografia por mês.


Prontinha para ir à missa, com um lindo vestidinho... e mãozinhas na terra!

Clique aqui e veja todas as fotos deste Projeto Fotográfico.

domingo, 10 de abril de 2011

Pensamento da semana #3


"Temos de aprender a viver todos como irmãos
ou morreremos todos como loucos."
(Martin Luther King)


Imagem daqui.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Ser mãe... Sou mãe! (Blogagem Coletiva) #MaternidadeReal

Como usuária do Método da Ovulação Billings, tive a certeza da concepção nos dias seguintes ao ato em si. E desde então me preparei para a grande aventura que seria a maternidade. Comprei revistas, pesquisei em sites, conversei com amigas, fiz novas amigas grávidas e mães, além, é claro, de todo preparativo que antecede o parto: visitas à ginecologista obstetra (havia escolhido poucos meses antes de engravidar), exames médicos, organização do chá de fraldas etc etc etc. Até aqui tudo tranquilo e comum.

Só que muitas coisas "reais" que acontecem com a gente, parecem esquecer de nos contar, ou se contam, fica pela metade. Quer dizer, escondem os momentos difíceis. Uma prima minha foi uma das poucas que já foi logo me preparando para a possibilidade de fissuras e rachaduras no peito durante a amamentação, com dicas e principais cuidados.

Enjoei muito durante os 3 (longos) primeiros meses, mas vibrei com a primeira ultra, quando meu bebê era do tamanho de um grão de arroz e seu coraçãozinho já batia tão forte, que parecia ter herdado o talento do pai como baterista.

Dia das mães com a @LojaLaPomme

Páscoa vem chegando... e logo depois, o dia das MÃES!

Eu, que não sou boba nem nada e sigo as "invencionices" exclusivas da La Pomme, já fiquei sabendo que prepararam cartões para o dia das mães para baixar e imprimir.

Bacanérrimo! São vários modelos de cartões, com cores e estampas diferentes para vários "tipos" de mãe. São lindos! E gostei tanto que quis compartilhar com vocês! ;)




P.S.: Isto não é um anúncio e não estou ganhando nada com este post.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Os dez mandamentos do casal


Ao final do curso de noivos, recebemos os 10 mandamentos do casal, e senti que, realmente, se pudesse seguir cada "mandamento" poderia ter um relacionamento saudável.

Às vezes, nos irritamos e perdemos a cabeça, falamos o que não devia, o que não queríamos... E essas pequenas "pendengas" vão minando a relação a dois. E a, digamos, função desses 10 mandamentos é ajudar o casal a cultivar e manter o bom convívio, o amor enfim.

Claro que nem sempre funciona... mas, sim, eu busco todos os dias a verdadeira felicidade e o verdadeiro amor para meu casamento. Se a gente não cuidar, quem o fará?

Por ter achado de grande valia, quero partilhar com você estes mandamentos do casal, e desejo que também seja útil e de grande importância para seu relacionamento atual ou futuro. Afinal, quem não quer um relacionamento saudável, duradouro e feliz?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...